Copenhagen (Copenhague em português) é a capital da Dinamarca e tem cerca de 1,2 milhões de habitantes. A cidade é considerada uma metrópole com um atraente centro de compras, muita cultura e vida noturna impressionante com várias opções de casas noturnas, shows, espetáculos e restaurantes gourmet. Copenhagen é a casa de grandes chefes de cozinhas internacionalmente conhecidos, um luxo. Sua culinária é refinada e criativa e é quase impossível conseguir uma mesa em um dos inúmeros restaurantes gourmet sem fazer reservas de pelo menos 4 meses antes.

Copenhagen mistura vida moderna com um pouquinho de contos de fadas:  o escritor e poeta de contos infantis Hans Cristian Anderson morou e faleceu na cidade. Anderson escreveu peças de teatro, canções, contos, estórias, e, principalmente, contos de fadas, pelos quais é mundialmente conhecido.

Desde o século XIX, seus contos já foram traduzidos para mais de 125 idiomas e inspiraram inúmeras peças de teatro, óperas, sinfonias e filmes.

O mais famoso conto é o da Pequena Sereia (Den Lille Havfrue) que conta a estória de uma jovem sereia disposta a dar a sua vida nos mares e a sua identidade como sereia, a fim de conseguir uma alma humana e o amor de um príncipe humano. Para homenagear o conto, no Pier Langelinje em Copenhagen, uma pequena estátua da sereia é uma das maiores atrações da cidade, todo mundo quer fotografá-la, portanto, você enfrentará uma “pequena” fila para isso.

Copenhagen abriga ainda dezenas e dezenas de atrações. Recomendo 5 dias na cidade.

Segue abaixo as top 5 atrações da cidade imperdíveis para você visitar!

 

1- A Pequena Sereia

No Pier Langelinje, no porto, você encontrará uma das atrações turísticas mais famosas de Copenhagen: a escultura da Pequena Sereia feita em 23 de agosto de 1913. A escultura foi um presente do cervejeiro dinamarquês Carl Jacobsen para a cidade de Copenhagen.

A escultura é feita de bronze e granito e foi inspirada no conto de fadas de Hans Christian Andersen. O cervejeiro se apaixonou pela personagem depois de assistir a uma performance de balé com base no conto de fadas que encomendou ao escultor Edvard Eriksen para criar uma escultura da sereia.

A escultura foi inspirada na bailarina Ellen Price, que em 1909 dançou o papel principal no ballet A Pequena Sereia. Porém, não foi a bailarina que posou para o escultor e sim sua esposa (ela não queria ficar nua para o escultor, pois a estátua aparece a sereia nua).

Infelizmente a estátua da Pequena Sereia tem sido vítima várias vezes de vandalismo. Duas vezes ela perdeu a cabeça, uma vez o braço foi cortado, e várias vezes atiraram tinta sobre ela.

A estória da Pequena Sereia (fonte Wikipédia)

O conto gira ao torno de uma sereia que vive num reino subaquático com seu pai, o Rei dos Mares; sua avó; e suas cinco irmãs mais velhas, cada uma com um ano de diferença. Quando uma sereia atingir os quinze anos, é-lhe permitido nadar até à superfície. À medida que as irmãs vão crescendo, uma delas visita a superfície cada ano. Quando uma delas regressa e conta sobre as suas aventuras, a curiosidade da Pequena Sereia sobre o mundo e sobre os humanos cresce.

Quando a vez da Pequena Sereia chegou, ela avistou um príncipe num barco enquanto se aventurava na superfície e apaixonou-se. Uma tempestade aparece e a Pequena Sereia salva o príncipe de se afogar. Ela leva-o ainda inconsciente até a costa perto de um templo e espera até que uma jovem do templo o encontrou. O príncipe nunca chegou a ver a Pequena Sereia.

A Pequena Sereia pergunta para sua avó a diferença entre os humanos e o resto dos seres do seu reino. Então ela explica que os humanos têm uma vida muito mais curta, mas quando uma sereia morre, ela transforma-se em espuma do mar e acaba por desaparecer, enquanto os humanos têm uma alma eterna que, mesmo depois de mortos, continuam a viver no céu. A Pequena Sereia, desejosa por uma alma eterna e pelo amor do príncipe, vai ter com a Bruxa do Mar, que lhe oferece uma poção, em troca da sua voz. A Bruxa do Mar avisa-a que, uma vez que ela se torne humana, nunca mais poderá voltar ao oceano e que ao beber a poção ela se irá sentir como se tivesse mil espadas a trespassar-lhe o corpo, mas quando se recuperar iria ter um par de pernas capazes de dançar como nenhum outro humano. No entanto, ela ir-se-á sentir constantemente como se estivesse a andar em facas afiadas, e os seus pés iriam sangrar terrivelmente. Além disso, ela iria apenas conseguir uma alma se encontrar o beijo do verdadeiro amor e se o príncipe também a amasse e casasse com ela. Se tal não acontecer, na primeira madrugada do casamento do príncipe com outra mulher, a Pequena Sereia morrerá com o coração despedaçado e desintegrava-se em espuma.

A Pequena Sereia bebe a poção e encontra-se com o príncipe, que se sente atraído pela sua beleza e graça, mesmo ela sendo muda. Sabendo que o príncipe adora vê-la dançar, ela assim o faz apesar da sua dor agonizante. Quando o pai do príncipe o ordena casar com a filha do Rei vizinho, este diz à Pequena Sereia que não o irá fazer, pois ele está apaixonado pela jovem do templo, acreditando ele que foi ela quem o salvou. Verifica-se mais tarde que a princesa é a jovem do templo, que foi mandada para lá a fim de ser educada. Com isto, o casamento entre os dois é anunciado.

Eles casam-se, deixando a Pequena Sereia de coração partido. Ela fica desesperada, desiste de tudo e acredita que apenas a morte a espera, mas antes da madrugada, as suas irmãs aparecem com uma faca de prata que a Bruxa do Mar lhes deu em troca dos seus longos cabelos. Se a Pequena Sereia esfaquear o príncipe com a faca e deixar o sangue dele cair sob os seus pés, ela iria voltar a ser uma sereia e o seu sofrimento iria acabar.

A Pequena Sereia não tem coragem para matar o príncipe enquanto ele dorme deitado ao lado da sua esposa e, ao chegar a madrugada, ela atira-se para o mar. O seu corpo transforma-se em espuma, mas em vez de desaparecer, ela sente o calor do sol; ela tinha-se tornado um espírito, uma filha do ar. Os outros espíritos contam-lhe que ela se tornou num devido ao seu esforço e dedicação ao tentar ter uma alma eterna.

 

DSC05273

 

 

2- Jardins de Tivoli

O parque de diversões dos Jardins do Tivoli em Copenhagen é uma visita obrigatória: um show!!!! Muita diversão para todos!!!

O Tivoli fica pertinho do belo prédio da prefeitura da cidade que também merece uma visita e foi fundado em 1843, tornando-se o maior tesouro da cidade. É o segundo mais antigo parque de diversões em funcionamento do mundo.

O escritor Hans Christian Andersen visitou o parque muitas vezes, assim como o Walt Disney e muitas outras celebridades que se apaixonaram pelos jardins. Uma atração especial dos contos de fadas de Andersen no parque encanta os visitantes, não perca!

O parque é bonito, com arquitetura exótica, edifícios históricos e jardins exuberantes com belos lagos. À noite, milhares de luzes coloridas criam uma atmosfera de conto de fadas que é completamente única e inesquecível.

Os brinquedos são os mais emocionantes que já vi, com destaque para o impressionante Vertigem, que faz o visitante ficar de cabeça para baixo em uma velocidade de 100km/h. Este foi eleito em 2014 como a melhor brinquedo de um parque de diversão da Europa.

A montanha russa chinesa é outra grande atracao do parque formando filas de mais de 3h de espera. Nesta montanha russa os passageiros são conduzidos em uma viagem através do universo chinês com dragões que jorram fogo e muito mais.

Durante todo o ano, o parque oferece vários shows em um palco enorme montado nos sensacionais jardins do parque, imperdível.

Lojas, lanchonetes e até restaurantes com estrela Michelin, atraem os visitantes famintos depois de longas horas de diversão no parque. Imperdível visita!!

DSC05394

 

3- Palácio de Amalienborg

O Palácio de Malienborg é uma volta ao passado. Ele está alojado em uma bela e impressionante praça com destaque bem no meio desta da estátua do rei Frederik V

O palácio formado por quatro idênticos edifícios mostra a história dos grandes reis dinamarqueses em seu esplêndido museu e como vivem os membros da família real da Dinamarca que ainda residem dentro do palácio.

Amalienborg é famosa por sua troca da guarda chamada Den Kongelige Livgarde. Todos os dias às 12h você pode assistir a troca da guarda. Muito interessante, com seus rituais de formação e respeito!

DSC05251

4- Nyhanv

Nyhanv é o lugar mais animado da cidade, especialmente durante o verão, com músicas e risadas de pessoas descontraídas e felizes. Nyhanv se caracteriza pelas casas coloridas que foram todas reformadas tornando-se restaurantes ou lojas e que dão um ar acolhedor ao local. Jantar em um dos restaurantes deliciosos de uma destas casinhas ou fazer como todo europeu: comprar uma cerveja de uma loja próxima e descansar os pés no cais é perfeito!

Nyhavn era originalmente um porto comercial bem movimentado. Esta área a mais de 100 anos atrás estava cheia de marinheiros, prostitutas, ladrões, pubs e cervejarias.

Hans Christian Andersen morou em pelo menos em 3 casinhas coloridas e onde escreveu vários de seus contos, todos inspirados pela atmosfera do local.

Durante o Natal em Nyhavn, as casinhas ficam ainda mais coloridas sendo iluminadas por milhares de luzes. Os cafés e restaurantes oferecem delicias dinamarquesas de Natal e a Feira de Natal com suas barraquinhas envolve o lugar e seus visitantes.

 

DSC05486

5- Castelo Rosenborg

Este imponente castelo com mais de 400 anos de história fica em um dos mais belos jardins da cidade.

O castelo de Rosenborg foi construído por um dos reis escandinavos mais famosos, Christian IV, no início do século XVII e abriga hoje um museu.

O visitante poderá apreciar os tronos da coroação, tapeçarias nas paredes que comemoram batalhas entre a Dinamarca e a Suécia; salas decoradas com muito luxo e as joias da coroa da Dinamarca. Passeio imperdível!

 

DSC05449

 

 

Roteiro completo de sua viagem pela Europa, solicite aqui.

Loja Por que não? Travels com diversos guias de várias cidades da Europa, veja aqui.