Thalys_ Image Banner 728 x 90

Reims é uma cidade de arte e história, e oferece aos seus visitantes 3 Patrimônios Mundiais da UNESCO que são imperdíveis: a Catedral de Reims, o Palácio de Tau e a Basílica Saint-Remi.

Da antiguidade até a época romana, Reims oferece uma grande variedade de monumentos, seja elas romanos, da Idade Média, ou museus sobre a Primeira e Segunda Guerra Mundiais. O importante Museu da Rendição fica no edifício em que, no dia 7 de maio de 1945, o General Eisenhower e os aliados receberam a rendição dos alemãs. O general alemão Alfred Jodl assinou a rendição como o representante do presidente alemão Karl Dönitz.

O museu mostra a sala da assinatura da rendição, equipamentos, fotos e documentos do edifício que era o quartel-general dos aliados.

Sala onde foi assinada a rendição dos alemães em Reims

Sala onde foi assinada a rendição dos alemães em Reims

 

Clovis, um Rei Franco, foi batizado por Remi, bispo de Reims no Natal do ano 498 em um batistério que estava localizado no local da atual Notre Dame de Reims. Por causa desse batizado, todos os outros reis da França foram coroados em Reims.

Em 816 ocorreu a primeira coroação em Reims, de Louis de Pious. Depois da coroação ocorria um banquete no palácio de Tau e uma peregrinação até a tumba do bispo Remi, localizado na basílica com o mesmo nome.

A coroação mais memorável foi a de Charles VII. Ele veio a Reims junto com Joana D’Arc no dia 17 de julho de 1429 depois do levantamento do cerco em Orleans.

No total, 33 reis foram coroados em Reims, sendo o último Charles X em 1825.

Rei Charles VII

Rei Charles VII

 

De acordo com a lenda, Reims foi fundada por Remus, o irmão de Romulus que fundou a Roma antiga. Além disso, uma tribo céltica que morava nessa região já tinha dado o nome de Remes.

Depois da conquista romana, a cidade virou uma das cidades mais populosas do norte dos Alpes. Dessa época existia ainda algumas ruínas, como por exemplo o Portão Mars (suas ruínas podem ser visitadas hoje), que foi construído no século III e o Cryptoporticus, galerias do ano 200 onde grãos eram guardados.

Na Idade Média, Reims prosperou com seus tecidos, sendo vendidas nas feiras no sul da região de Champagne e comercializado também com a Liga Hanseática.

Como em qualquer outro lugar na Europa, a aparência de Reims mudou radicalmente durante a Revolução Industrial e o número de habitantes aumentou de 30.000 para 120.000 em apenas um século. Ricas mansões substituiram as casas de enxaimel.

Portão Mars, Reims

Portão Mars, Reims

 

As principais praças de Reims incluem a Place Royale, com uma estátua de Luis XV, e a praça Cardinal Luçon, com uma estátua equestre de Joana d’Arc.

A Rue de Vesle, principal rua, corta a cidade de sudoeste a noroeste, passando pela Place Royale.

A Place Drouet d’Erlon no centro da cidade tem muitos restaurantes e bares, assim como atrativas estátuas e fontes. Durante o verão, ela fica cheia de pessoas sentadas nos cafés desfrutando do sol, e em dezembro ela tem um ativo e charmoso mercado de Natal.

A estátua equestre de Joana d'Arc na praça Cardinal Luçon, Reims

A estátua equestre de Joana d’Arc na praça Cardinal Luçon, Reims. Foto: Tales of a Wanderer

 

A Catedral de Notre Dame foi construída no século XIII em estilo gótico e sediou 25 coroações. No total a catedral tem 2.300 estátuas e lindos vidrais.

O Palace de Tau, ao lado da catedral, foi a residência dos bispos e arcebispos de Reims. O palácio é hoje um museu que conta sobre a arquitetura da catedral. Visitantes podem ver como o palácio era no século XVI e algumas estátuas originais da catedral estão em exposição. Lá se encontra também as roupas da coroação de vários reis.

A Basilica de Saint Remi foi construída no século XI para guardar os restos mortais do Santo Remi, o bispo que batizou Clovis em 498.

Adjacente a Basilica está um museu situado em uma antiga abadia do século XVII e XVIII, também um patrimônio mundial da UNESCO. O museu abriga importantes coleções relacionadas à história de Reims, entre elas, 300 m2 de notáveis coleções militares, desde os tempos antigos até a guerra Franco-Prussiana de 1870-71.

Basilica de Saint-Remi; Palácio de Tau e a Catedral Notre-Dame

Basilica de Saint-Remi; Palácio de Tau e a Catedral Notre-Dame

 

A Demeure des Comtes de Champagne é um dos últimos edifícios medievais da cidade. Ele era a residência dos Condes de Champagne durante as coroações dos reis. A casa foi construída no século XIII e sedia hoje exibições e concertos.

A Biblioteca Carnegie foi inaugurada em 1928 pelo presidente da República, Gaston Doumergue. Tem um formato semi cilindrico, incomum na França. Na recepção estão pequenos paineis de mosaico feitos por A. Sauvage, representando o trabalho intelectual, físico e manual.

Não deixe de visitar as caves e degustar da champagne na Maison Ruinart.

É a mais antiga vinícola da Champagne. Suas cavernas subterrâneas são um espetáculo.

As visitas são feitas com hora marcada, reservar neste site. Fica na 4 Rue des Grayères

Após visitar as caves, volte para perto da catedral e descanse no Café Du Palais.

O Café Du Palais tem uma maravilhosa seleção dos melhores champagnes da região. Imperdível!

Fica na 14 place Myron Herrick.

Hotel que recomendo em Reims? O confortável Hotel aux Sacres.

Demeure des Comtes de Champagne; Biblioteca Carnegie; Maison Ruinart

Demeure des Comtes de Champagne; Biblioteca Carnegie; Maison Ruinart

 

Foto da capa: joinusinfrance.com

Mais sobre a França, suas cidades e suas atrações, veja aqui.

Loja do Por que não? Travels com roteiros e guias à venda, veja aqui.

Roteiros personalizados para toda a Europa, clique aqui.

Curta a página do Por que não? Travels no Facebook clicando aqui.

Veja as fotos do Por que não? Travels no Instagram.

Siga as informações do Por que não? Travels no Twitter, @alemanhapqnao.

Para ver hotéis em Reims, veja aqui.