Booking.com
Para comemorar o bicentenário de nascimento de um dos maiores compositores mundiais, o alemão Richard Wagner, a Alemanha está comemorando esta data em alto estilo: mais de 15 cidades alemãs, durante os meses de maio a agosto, programaram exposições, festivais, concertos e óperas entre as diversas obras de Wagner.Em Leipzig, cidade natal do compositor, está marcada a apresentação da maravilhosa ópera “A Cavalgada das Valquírias”, de 16 a 26 de maio. Se você estiver na cidade, não perca!!

Em Munique, o Bayerische Staatsbibliothek, lembra da ocasião do 200° Aniversário de Richard Wagner focando a estreia mundial do drama musical Tristão e Isolda em 10 Junho de 1865 no Königlichen Hof- und Nationaltheater.

O foco são 36 cartas autografadas de Richard Wagner, Cosima (2° esposa de Wagner) e Hans von Bülow (pianista de Wagner) complementados pelos materiais  históricos da Bayerischen Staatsoper para a estreia de Tristão e Isolda. Impressões e fotografias contemporâneas mostram os acontecimentos em retratos dos atores principais e seus locais de ação. Também tem retratos, cenários, imagens e desenhos dos trajes que foram fornecidos pelo Deutschen Theatermuseum de Munique, Bayerischen Staatsoper e a Administração bávara de palácios estatais.

No Teatro de Bayreuth, Patrimônio Mundial da UNESCO, acontecem de 25/07 a 28/08, apresentações diárias das obras de Wagner.

Em Berlim, no Philharmonie, terá apresentaçoes da ópera O Anel dos Nebelungos (maio e junho).

Também em Berlim no Staatsoper a apresentaçao da linda ópera Der Fliegende Holländer, nos dias 19 e 22 de maio.

32877246

Richard Wagner nasceu em Leipzig, Alemanha, no dia 22 de maio de 1813. Foi maestro, compositor, diretor de teatro e com suas famosas óperas, ou melhor “dramas musicais” (notáveis por suas texturas complexas, harmonias e orquestração), tornaram Wagner um dos maiores compositores de seu tempo.

Apesar de seu talento, Wagner vivia em confusão: gastava tudo que tinha com luxo e festas e vivia fugindo da polícia e credores. Fugiu da Alemanha para não ser preso, vivendo por algum tempo em Riga, na Letônia.

Em 1864 o jovem rei bávaro Ludwig II mandou chamar Wagner a Munique. Ludwig II foi, desde a juventude, um especialista entusiasta sobre os escritos de Wagner. Mas somente como um monarca que ele pode realizar o seu desejo de conhecer pessoalmente o poeta e compositor.

Wagner reuniu em maio de 1864, três peças em andamento em Munique: Das Rheingold, Die Walküre do Anel do Nibelungo e Tristão e Isolda. Ludwig pagou toas as dívidas de Wagner e ofereceu um castelo e uma boa soma em dinheiro para Wagner trabalhar em futuras óperas em Munique.

No entanto, Wagner esnobou os representantes da vida musical de Munique.

A proximidade de Wagner com Ludwig, suas tentativas de influência política e a provisão de fundos aparentemente inesgotáveis ​​do orçamento pessoal de Ludwig II, eventualmente, levaram no fim de 1865, não só a confrontos violentos com a imprensa, mas provocaram também a resistência entre os funcionários administrativos do Gabinete. Ludwig II foi forçado a pedir a Wagner a deixar temporariamente Baviera. Em 10 de Dezembro 1865 Wagner se mudou para a Suíça.

O primeiro Festival de Bayreuth:

Há muito tempo Wagner sonhava com a construção de um teatro que fosse uma meca, um centro de peregrinação para os amantes de sua arte de todo o mundo. Ludwig II, que tinha paixão pela arquitetura e adorava construir majestosos castelos e suntuosos palácios, apoiava Wagner nesse projeto. Mas as finanças do reino estavam combalidas pela guerra, e havia forte oposição política a mais esse projeto. Houve, portanto, dificuldades de financiamento. Wagner recebeu propostas de Londres, Chicago, e até mesmo de Pedro II, imperador do Brasil, que lhe ofereciam ajuda e um local para a construção do teatro, mas no final ele acabou escolhendo Bayreuth. Vários motivos o levaram a fazer essa escolha. A cidade ficava na Baviera, mas próxima à fronteira norte, ocupando uma posição geográfica próxima ao centro do território alemão. Não havia lá nenhuma temporada teatral regular, nenhum spa ou centro turístico por perto; ou seja, nada para desviar a atenção ou concorrer com o seu festival. E as autoridades certamente apoiariam um projeto que traria novo comércio e daria nova vida ao local. O único defeito da cidade, mas isso Wagner só descobriria mais tarde, era que chovia demais!

Wagner bolou um sistema de financiamento em que ricos patrocinadores do mundo inteiro comprariam Patronatscheine, cédulas de patrocínio que dariam direito a poltronas durante o festival. Houve poucas vendas, e o esquema falhou. O projeto se arrastou por vários anos até que Ludwig II, juntamente com a Duquesa Helena da Rússia, o Sultão da Turquia e o Quediva do Egito vieram em socorro de Wagner.

A 21 de novembro de 1874 Wagner colocou a dupla barra final na partitura de Götterdämmerung. A composição do Anel estava finalmente terminada.

A 13 de agosto de 1876 teve início o primeiro Festival de Bayreuth. Uma verdadeira galáxia de celebridades do mundo inteiro se deslocou para Bayreuth para assistir ao evento. Entre eles, podemos citar: Wilhem I, Imperador da Alemanha; Pedro II, Imperador do Brasil; Ludwig II, Rei da Baviera; Friedrich Nietzsche e sua irmã Elizabeth; entre os compositores: Franz Liszt, Camille Saint-Saëns, Anton Bruckner, Pyotr Ilyich Tchaikovsky, entre muitos outros. (texto retirado da Wikipedia)

Wagner morreu em Veneza, em 13 de fevereiro de 1883, subitamente de um ataque cardíaco nos braços de Cosima e cercado pelos filhos. Seu funeral foi realizado em Bayreuth.

Após a morte de Wagner, a direção do Festival de Bayreuth passou para sua viúva, Cosima. Ela renunciou aos direitos 1906, e seu filho Siegfried assumiu a direção. Cosima e Siegfried morreram ambos em 1930, e a direção do festival passou então para a viúva de Siegfried, Winifred Wagner. Winifred era nazista e muito amiga de Adolf Hitler (Hitler participou uma vez do Festival), por isso ao final da guerra ela foi condenada à prisão e afastada da direção do teatro; assumiram então seus dois filhos, Wieland e Wolfgang. Wieland morreu em 1966 e Wolfgang continuou no cargo até 2008. (fonte deste parágrafo: Wikipédia)

a teatro B
O Teatro de Bayreuth, em Bayreuth (foto: Rico Neitzel)