Quando nós ouvimos o nome da cidade de Meissen associamos direto à fábrica de sua famosa porcelana, e com toda razão! A cidade ganhou fama por causa dessa empresa.

A história desta empresa começa no século XIII. Desde aquela época, a porcelana era importada da China por preços exorbitantes. Foi só no começo do século XVIII que Meissen começou a desvendar o mistério da produção de porcelana em segredo. Ninguém podia saber que no castelo Albrechtsburg, da cidade de Meissen, era o local onde estavam sendo feitas as primeiras pesquisas para descobrir o “ouro branco”. A Oficina no castelo funcionou até 1863, depois disso foi construída a fábrica que é usada até hoje.

Os responsáveis pela pesquisa eram: Johann Friedrich Böttger, Ehrenfried Walther von Tschirnhaus, o Freiberger Bergrat Gottfried Pabst von Ohain, entre outros. Eles estavam a serviço de August, der Stark, rei da Polônia e eleitor da Saxônia.

O trabalho foi um sucesso! Sob a liderança de Johann Friedrich Böttger, em 1708 aconteceu a primeira produção de porcelana branca, a primeira da Europa!

Mesmo com o maior cuidado e sigilo, o segredo foi roubado por Samuel Stölzel em 1719. Ele foi para Viena e começou sua fábrica lá. Isso fez com que a Meissen decidisse marcar os seus produtos para eles não serem imitados ou falsificados. Por isso que, em 8 de novembro de 1722 o inspetor de fabricação Johann Melchior Steinbrück propôs identificar as peças com o símbolo das espadas cruzadas. Esse foi, possivelmente, o primeiro exemplo de design corporativo do mundo. Inicialmente também foram usadas as iniciais do rei August, AR (Augustus Rex) ou KPM (Königliche Porzellan-Manufaktur), que significa fabricação de porcelana real. Mas desde 1731 as espadas são o símbolo oficial. Com o passar dos anos foram adicionados às espadas estrelas ou pontos, hoje em dia só são as espadas.

O nome registrado, porém, mudou duas vezes. Em 1919 foi registrado como Böttgersteinzeug e em 1985 Meissener Porzellan, como está até hoje.

August, der Stark, declarou que o escultor da corte se mudasse de Dresden para Meissen. Johann Joachim Kaendler morou e trabalhou no castelo. Sua oficina era no terceiro andar do castelo Albrechtsburg a poucos metros de sua casa. Ele trabalhou todos os dias por 44 anos até se cansar. Suas peças eram as mais delicadas, e todas elas foram trabalhadas à mão. Ele trabalhava ocasionalmente com outros artistas como: Peter Reinicke (1715-1768) e Johann Friedrich Eberlein (1695 – 1749). Os trabalhos deles viravam obras de arte e estão entre as mais apreciadas do Museu da Meissen.
Cópias das porcelanas de Kaendler eram facilmente encontradas pela Europa inteira, mas nenhuma delas tinha a graça e estilo como as originais.

Kaendler revolucionou o estilo das xícaras e seus acessórios. Em 1740 ele criou a coleção “Não-Me-Esqueça”, as xícaras e bules eram cobertos com pequenas flores bem juntinhas. Foi nessa época que ficaram populares os temas de flores e de frutas.

Todos amavam suas peças, inclusive August, der Stark, que se clamava “louco” por porcelana.

Outra coleção famosa é o grupo de pastores. Os detalhes são impressionantes!

A Meissen também ficou famosa pela Zwiebelmuster (padrão cebola), que são os desenhos azuis cobalto na porcelana. Esse estilo começou a ser fabricado em 1730 e é produzido até hoje! Esse estilo nunca saiu de moda! Apesar de ser chamado “padrão cebola”, os desenhos não tem nada a ver com cebolas, é comum serem mostrados frutas, principalmente pêssego, limão e maçã.

Meissen8
A marca Meissen ao longo dos anos

Entre 1912 e 1916 foi construído o Museu de Porcelana, anexo à fábrica. Ele mostra peças, em ordem cronológica, de 1710 até os dias atuais.

Existem peças selecionadas representando cada era de ouro, por exemplo o tema “Dragão” (1731) ou “Leão amarelo em estilo antigo” (1731). O conjunto com o leão amarelo é o primeiro conjunto de jantar da Meissen. Estas podem ser vistas em museus e coleções em várias partes do mundo. Grande parte no Museu da Meissen e em Dresden.

O Schwanenservice (Porcelanas de Cisnes) era o padrao mais requisitado para a empresa. Em 1740 todo nobre que era chique tinha um serviço de jantar em formato de cisnes.

Naquela época, porcelana também era muito importante na política. Se a mesa de jantar tivesse pratos de porcelana, talheres de prata, etc, isso significava riqueza e diplomacia para tal pessoa.

Outro exemplo eram os tipos de copos de porcelanas que foram criados nos anos 1700, quando foi apresentado à Europa as três bebidas do prazer: café, chá, e chocolate. As asas das xícaras e bules ofereciam proteção aos dedos para que não se queimassem com os líquidos quentes.

Outro destaque do museu é o seu salão de banquetes em estilo neo-clássico, com suas duas escadarias, impressiona a todos com sua gigante mesa de banquete, decorada com pratos que são trocados todos os anos.

O museu é incrível, lindo e para quem é fã de porcelanas, como eu, é um “prato cheio”!!! Inesquecível.

As coleções à mostra no museu são algumas das mais valiosas para colecionadores.

Meissen25
Cartaz comemorativo aos 275 anos do serviço de mesa de cisnes
Meissen26
Corredores do museu

Meissen34

Meissen38
Eu e o impressionante “Templo da Honra”, feito por Kaendler. Foi a maior peça feita em porcelana no século XVIII
Meissen39
Interior do museu da Meissen
Meissen40
Exposições do museu
Meissen44
Corredores do museu e á direita, aquedores de ambiente em porcelana do século XVIII (tipo lareira)

Meissen48

Meissen27

Meissen28
Busto de um chinês, 1732
Meissen29
Homenagem à Böttcher, no Museu da Meissen
Meissen30
Peças perfeitas feitas por Kaendler
Meissen31
Uma das peças feitas com a técnica coleção “Não-Me-Esqueça”, belíssimo

Meissen32

Meissen33

Meissen35

Meissen36
O Grande Templo da Honra

Meissen37

Meissen41
Serviço de mesa dos Cisnes, Schwanenservice
Meissen42
Detalhe do Schwanenservice
Meissen43
Vaso feito no século XVIII. Detalhes para as flores: tudo de porcelana…

Meissen45

Meissen46
Lustre de porcelana enfeita uma das salas do Museu da Meissen

Meissen47

Além disso os visitantes podem dar uma olhada como a porcelana é fabricada. Meissen é conhecida por fabricar as suas peças sem utilizar muita tecnologia, tudo feito à mão, desde a modelagem até a pintura final. Sendo assim, o valor de cada peça é um absurdo.

Lá existem duas oficinas de demonstrações. Na primeira os visitantes escutam os comentários gravados (em várias línguas) explicando a história e detalhes do desenvolvimento. Como há muitos turistas todos os dias, o tempo para ficar lá dentro é limitado.

Na segunda oficina (aberta somente de abril a outubro) pequenos grupos são levados por um guia. Lá o guia explica tudo e você pode perguntar tudo o que você quiser para ele. No começo os visitantes também assistem a um filme explicando a história. Você passa por várias salas de demonstração onde um profissional mostra todos os detalhes: fazendo a “massa” da porcelana, modelagem, secagem e a pintura final. Um show!!

Meissen9
Demonstração de como é feita a “massa” para modelar uma peça de porcelana
Meissen10
Moldando uma peça
Meissen11
Detalhes na confecção da peça

Meissen12

Meissen13
Pintando a peça

Meissen14

Meissen15

Meissen16
Detalhes finais da pintura da peça
Meissen17
Preparação da cor da tinta

Meissen18

Meissen19

Meissen20

No museu também tem um restaurante e um café. Todos os pratos são de porcelana Meissen. O Café Meissen está aberto de segunda a domingo das 9:00 às 18:00 e o restaurante Meissen está aberto diariamente a partir das 11:00.

Há também uma maravilhosa joalheria (sim, a Meissen também produz joias em porcelanas delicadíssimas), porém os preços deixam qualquer um bem desanimado.

Outro “desânimo” para o visitante é a loja que, obrigatoriamente, o visitante passa logo após a saída do tour guiado: venha preparado e se você tiver problemas no coração, nem olhe, passe reto! Um luxo e deslumbre. Os preços são o “desânimo” que mencionei logo acima. As peças são caríssimas. Mas com razão, tudo é tão perfeito que justifica o alto valor das peças.

O museu está aberto de segunda a domingo das 9:00 às 18:00 (entre 1 de maio e 31 de agosto); das 9:00 às 17:00 ( entre 1 de novembro e 30 de abril) e das 10:00 às 16:00 (entre 31 dezembro e 1 de janeiro). O museu está fechado nos dias 24, 25, 26 de dezembro.

Os tours guiados pela oficina acontecem a cada 10 minutos e são oferecidos em 14 línguas. Tours guiados pessoais são oferecidos em 9 línguas. É recomendável reservar antes.

As entradas custam 6,00 euros para adultos (museu e exibição especial), 8,50 euros para adultos (museu, exibição especial e oficinas de demonstração), crianças de 6-18 anos pagam 4,50 euros. Estudantes e deficientes recebem um desconto de 50%. Entrada para família ( 2 adultos e crianças até 18) custa 18,50 euros.

loja m5
A loja do museu….ai….

loja m3

loja m9
Peças à venda na loja…uma xícara e pires como umas desta foto nao sai por menos que 227,00 euros cada par (xícara + pires)

loja m4

loja m6

loja m7
A xícara e pires da esquerda custa 440,00 euros (nao é um conjunto de 5 xícaras e 5 pires, o preço é para uma xícara e um pires). Viu por que o “desânimo” ???
loja m8
É esse o valor mesmo…712,00 euros (uma xícara e um pires)
loja m10
Fiquei feliz quando achei estas peças: um pouco mais baratinhas…

loja m11

loja m12

loja m13

loja m14

loja m15
A Joalheira…outro “desânimo”
loja m16
Marcelo e Felipe só apreciando as fantásticas joias em porcelana, ouro, diamantes, pérolas….
loja m17
Meu sonho de consumo: Colar com flores de porcelanas feitas à mao, com diamantes em cada centro das flores e ouro salpicado dentro das flores. Preço?  Só 103.300,00 euros!!! Os bricos (abaixo à direita custam 6.560,00)
loja m18
Café Meissen
Eurostar_ Image Banner 728 x 90