Um simples pacote de sal, hoje em dia, não vale quase nada, não é mesmo? Mas, o que você não sabe é o quão precioso esse “ouro branco” era na Idade Média. Tão precioso, que trazia grandes fortunas para aqueles que sabiam como produzi-lo. A história de Lüneburg foi determinada pelo sal. Andando pelas ruas desta deslumbrante cidade o visitante vê evidências de tudo isso. Seja no Museu do Sal, ou nas casas em enxaimel ricamente decoradas…Lüneburg foi umas das cidades mais ricas da Alemanha na Idade Média. E hoje nos fornece uma arquitetura medieval incrivelmente preservada devido a poucos ataques aéreos na Segunda Guerra Mundial.

Descrever esta cidade? Só vendo com os próprios olhos!

Um pouco da história de Lüneburg:

Até o primeiro documento descrevendo a cidade de Lüneburg, em 956, já mencionava o sal. Nesse documento, o Rei Otto I transfere aos monges do mosteiro St. Michaelis as suas minas de sal, que já estavam em funcionamento bem antes da cidade ser fundada. Hoje estas minas não existem mais pois estão todas inundadas, por causas naturais.

O crescimento da cidade começou quando o rei Henrique, o Leão, se encantou por ela e fez de tudo para ajudá-la a crescer. Seu sucessor, o Conde Otto, a Criança, deu aos artesãos, conhecidos como Sülzprälaten, o direito de trabalhar nas minas de sal. Desse grupo vieram os futuros prefeitos e conselheiros, cujo poder fez com que Lüneburg se juntasse à Liga Hanseática, sendo liderada por Lübeck em 1371.

Lübeck, que era muito interessada na troca de sal, investiu muito na criação de uma “estrada aquática” a ligando à Lüneburg. Essa estrada se chama Stecknitzfahrt, e ainda existe até hoje, sendo parte do canal entre o rio Elba e rio Trave.

Era por essa estrada que o sal de Lüneburg era transportado até Travemünde. Lá, o sal era armazenado e vendido pelo mercadores de Lübeck principalmente para a Escandinávia, onde o sal era necessário para preservar o peixe local.

A Reforma e as guerras religiosas paralisaram a troca de sal. A peste negra levou muitas vidas em Lüneburg, e depois a cidade foi controlada pelos suecos e pelos franceses.

Lüneburg se recuperou graças ao começo da industrialização. A construção da primeira linha de trem ligando Hamburg via Lüneburg até Uelzen foi outro fator. Nesse tempo, as antigas fortificações de Lüneburg foram demolidas e também 5 portões antigos.

Lüneburg pertencia ao reino de Hannover em 1814, e em 1866, Lüneburg foi adquirida pela Prússia.
Depois da guerra Franco-Prússiana, Lüneburg experimentou um período de prosperidade, incluindo construções de novos edifícios, novos bairros e estabelecendo novas companhias.

Hoje, a cidade impressiona por seu alto padrão de vida. É altamente atrativa para novas empresas, famílias e estudantes. É um paraíso viver em Lüneburg.

Sua universidade, com mais de 10 mil estudantes, foi fundada em 1946 e se juntou com a antiga universidade de Ciências Aplicadas e foi depois renomeada como Leuphana Universität Lüneburg, em março de 2006. É uma das universidades mais importantes do norte da Alemanha e referência internacional. (www.leuphana.de/)

Lüneburg tem atrações incríveis e imperdíveis por todos os lados. Você não se cansará de admirá-los. E quando acabar de ver tudo? Nada melhor que sentar em um café e apreciar o movimento das pessoas, e entender um pouco melhor a cultura desta magnífica cidade!!! Imperdível!

A linda Lüneburg
Lüneburg 2
Prefeitura da cidade. Suas fundações são do ano 1230, mas o prédio atual é de 1899. Dentro é belíssimo
Marcelo e Felipe nas ruazinhas de Lüneburg

Lüneburg 7

Lüneburg 15

Lüneburg 19
Antigo porto da cidade e seu guindaste do século XVIII
Antigo porto
Que tal tomar um café neste pitoresco restaurante? Muito relaxante
Lüneburg 24
Paisagem da janela de um delicioso restaurante que almoçamos em Lüneburg
Lüneburg 27
Prost para os meus queridos amigos

Lüneburg 26

Lüneburg 29
A linda igreja de St. Johannis, uma das imperdíveis atrações da cidade. A igreja foi construída em 1300 e sua torre tem 108m de altura
Thalys_ Image Banner 728 x 90